Bem vindos ao Espaço Saúde Granjardim
Consultórios para profissionais da saúde na Granja Viana
(11) 4702-6652 / 4702-6781 contato@espacosaudegranjardim.com.br
Sarampo na gravidez
Sarampo na gravidez

O sarampo na gravidez pode trazer riscos tanto para a mãe quanto para o bebê. E a vacina é contraindicada durante a gestação!

O sarampo é uma doença viral altamente contagiosa. Apesar de ser mais comum em crianças, também acomete adultos – inclusive a doença é grave em gestantes e pode trazer riscos tanto para a futura mãe quanto para a saúde e para o desenvolvimento do bebê.

O contágio ocorre de forma direta através das secreções expelidas pela pessoa infectada. A fase mais crítica para a transmissão é dois dias antes e dois dias depois do início da erupção cutânea, as conhecidas manchas vermelhas. A doença pode ser confundida inicialmente com uma gripe ou outra virose, já que a pessoa apresenta febre alta, coriza, congestão nasal, tosse persistente e irritação nos olhos. Em seguida, aparecem as manchas avermelhadas no rosto que depois se espalham pelo corpo.

A melhor forma de prevenção é a vacina. Inclusive, o Ministério da Saúde lançou a campanha nacional de vacinação contra o sarampo em outubro com o objetivo de barrar o surto da doença ocorrido nos últimos meses. No entanto, como a vacina trivalente (sarampo, caxumba e rubéola) é feita com vírus atenuado da doença, é contraindicada para gestantes. Como a gestação baixa naturalmente a imunidade da mulher, se ela for vacinada corre o risco de contrair a doença ou ter complicações. Medidas de higiene, como lavar sempre as mãos e usar álcool em gel, podem ajudar as futuras mamães a se prevenirem. Depois do parto, porém, a vacina está liberada.

Quais são os riscos de contrair sarampo na gravidez?

Como durante a gravidez ocorre naturalmente uma queda da imunidade, as gestantes são mais suscetíveis às possíveis complicações da doença, incluindo:

  • Acometimento do sistema nervoso central da gestante;
  • Infecções respiratórias (como pneumonia e broncopneumonia);
  • Malformações no feto;
  • Aborto espontâneo;
  • Parto prematuro;
  • Óbito fetal.
Quem está planejando engravidar deve se vacinar!

As mulheres que desejam engravidar devem estar em dia com o calendário de vacinação. O recomendado é tomar a vacina contra o sarampo pelo menos um mês antes da concepção. Se possível, dois ou três meses antes. A gestação deve ser evitada no primeiro mês após a aplicação. A vacina trivalente também garante imunidade contra a rubéola, doença que quando contraída durante a gestação pode causar malformações sérias no feto, como surdez, catarata, glaucoma, problemas cardíacos e neurológicos.

Campanha nacional contra o sarampo de 2019

Em outubro começou a campanha nacional de vacinação contra o sarampo. A primeira etapa focou em crianças de 6 meses a 5 anos. Em 18 de novembro, começa a segunda etapa e o público-alvo é a população entre 20 e 29 anos. O objetivo é proteger cerca de 13 milhões de adultos no país. No entanto, a vacina tríplice viral é disponibilizada o ano todo gratuitamente nos postos do Sistema Único de Saúde (SUS) para crianças e adultos. Vacine-se!

Confira mais sobre o sarampo em crianças e a vacinação contra a doença aqui!

 

Dr. Sérgio Guisard

Ginecologista e Obstetra