Bem vindos ao Espaço Saúde Granjardim
Consultórios para profissionais da saúde na Granja Viana
(11) 4702-6652 / 4702-6781 contato@espacosaudegranjardim.com.br
Dia Mundial do Coração

29 de setembro: como você está cuidado da saúde do seu coração? Cada batimento conta!

Todo mundo tem o direito à saúde do coração! Cuidar de seu coração significa aderir mudanças pequenas, mas significativas: seguir uma dieta equilibrada, realizar atividade física regular, reduzir o consumo de álcool, parar de fumar… São ações cotidianas que além de deixá-lo mais saudável, contribuem para que você desfrute o máximo de sua vida.

Infelizmente, a doença cardiovascular é a principal causa de morte e incapacidade no mundo, acometendo 17,9 milhões vidas por ano. Isso equivale a um terço de todas as mortes no planeta e metade de todas as mortes por doenças não transmissíveis. E hoje é um dia que desempenha um papel crucial na mudança desse cenário.

Fundado em 2000, e desde então comemorado todo dia 29 de setembro, o Dia Mundial do Coração é uma iniciativa da World Heart Federation (Federação Mundial do Coração) e tem como objetivo combater o aumento da quantidade de pessoas com doenças cardiovasculares, incluindo doenças cardíacas e AVC, e defender a igualdade nos tratamentos de saúde.

Mais de mil atividades e eventos hoje são organizados em todo o mundo para espalhar a palavra sobre como podemos combater a mortalidade prematura causada pela doença cardiovascular, o assassino número um da população no mundo.

Nosso pedido é que você seja um herói do coração fazendo uma promessa de coração a alguém que ama ou se preocupa. Uma promessa de comer de forma mais saudável, de combater o sedentarismo e se tornar mais ativo, de dizer não ao tabagismo.

Uma simples promessa… para o meu coração, para o seu coração, para todos os nossos corações.

Ao compartilharem conhecimentos, recomendações e estratégias, podemos inspirar-nos mutuamente para nos tornarmos mais saudáveis no coração. Para apoiar a saúde do coração, acesse o site worldheartday.org, crie e compartilhe seu próprio pôster e se comprometa a utilizar #WorldHeartDay (#DiaMundialdoCoração) e marcar no Facebook a World Heart Federation.

 

Fonte: Dra. Luciana Bamonte
Cardiologia e Clínica Médica
CRM: 115.653
https://www.grancorcardiologia.com

Como o diabetes afeta o seu coração

Atenção: o diabetes é considerado um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares. Cuide-se!

Você sabia que as doenças cardiovasculares, como infarto e derrame cerebral, são as complicações decorrentes do diabetes que mais levam o paciente com a doença ao óbito? Adultos com diabetes possuem até quatro vezes mais chances de terem doenças cardíacas do que os adultos sem diabetes. No entanto, muitas pessoas – inclusive diabéticas – desconhecem a relação entre os dois problemas.

O diabetes é uma doença crônica na qual o organismo não produz insulina ou não consegue utilizar adequadamente a insulina produzida, causando a elevação da glicemia. “Esse aumento na glicose leva a uma inflamação das artérias e nervos que atrapalha a inervação e a irrigação dos órgãos, como coração, rins, olhos e cérebro.

Embora não tenha cura, o diabetes pode ser controlado e o tratamento é essencial para evitar as complicações cardiovasculares. O acompanhamento médico é imprescindível, assim como a mudança de hábitos. O diabético deve seguir um programa de controle rigoroso que inclui alimentação saudável, prática de atividade física regular, exames periódicos e uso da medicação prescrita pelo médico, além de eliminar hábitos como de fumar e de consumir bebidas alcóolicas.

Atenção: sintomas de infarto podem ser diferentes em diabéticos!
Os sinais clássicos do infarto agudo do miocárdio são: dor no peito que pode irradiar para o braço esquerdo, náusea, vômito, suor frio e desmaio. Porém, na pessoa com diabetes os sintomas podem não ser evidentes.

Isso ocorre porque o organismo, ao ser exposto a uma agressão lenta ao longo dos anos, é capaz de desenvolver mecanismos de compensação. Os vasos doentes são compensados por novos vasos mais finos. Essa condição faz com que o quadro clínico fique mascarado e os infartos podem ser silenciosos. Por isso, é vital o acompanhamento médico e procurar uma unidade médica de emergência se sentir qualquer sintoma diferente.

Fonte: Dra. Luciana Bamonte
Cardiologia e Clínica Médica
CRM: 115.653
https://www.grancorcardiologia.com