Bem vindos ao Espaço Saúde Granjardim
Consultórios para profissionais da saúde na Granja Viana
(11) 4702-6652 / 4702-6781 contato@espacosaudegranjardim.com.br

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) pode causar irregularidade menstrual e infertilidade

Cerca de 2 milhões de mulheres no Brasil sofrem com a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), um distúrbio hormonal caracterizado pelo aumento de hormônios masculinos nas mulheres em idade fértil. Infelizmente, as causas ainda são desconhecidas, mas acredita-se que a resistência insulínica (quando o organismo responde de forma insuficiente à presença de insulina) e a hiperinsulinemia (resistência aumentada à insulina) tenham um papel importante nesse desiquilíbrio hormonal. Também há evidências que haja um fator genético envolvido.

O diagnóstico do problema ainda é um desafio e atualmente o consenso de Rotterdam é o mais utilizado, em que a presença de dois dos três sintomas abaixo são necessários para afirmar que a mulher tem SOP:

1 – Irregularidade ou ausência menstrual

2 – Hiperandrogenismo (clínico ou laboratorial)

3 – Imagens sugestivas de ovários policísticos

Sintomas da SOP

Apesar de em alguns casos a Síndrome dos Ovários Policísticos ser assintomática, alguns sinais característicos do problema são:

  • Irregularidade menstrual: as menstruações são espaçadas e a mulher menstrua poucas vezes por ano. No entanto, também pode haver fluxo intenso ou ausência da menstruação;
  • Excesso de peso: há tendência à obesidade e o ganho de peso piora os sintomas da SOP;
  • Excesso de oleosidade na pele: as glândulas sebáceas produzem mais óleo, o que causa o aparecimento de cravos e espinhas;
  • Hirsutismo: excesso de pelos no rosto, barriga e seios;
  • Queda de cabelo;
  • Infertilidade: a irregularidade ou ausência de menstruação interfere o processo de ovulação e, consequentemente, dificulta a ocorrência de gravidez.

Tratamento para SOP

Embora não exista cura, os sintomas podem ser controlados com tratamentos individualizados sugeridos pelo ginecologista. Medicamentos, anticoncepcionais e o DIU hormonal podem ser utilizados de acordo com os sintomas da paciente e suas complicações.

Se a paciente apresentar excesso de peso, é importante aderir a uma alimentação saudável e praticar atividades físicas – eliminar de 5 a 10% do peso corporal já tem grande impacto na qualidade de vida da paciente com SOP.

O dermatologista tem um papel importante também para controlar os sintomas apresentados na pele com tratamentos cosméticos, pois o excesso de oleosidade da pele e de espinhas costuma impactar na autoestima da mulher. Já em casos de infertilidades, o uso de medicações que regulam a menstruação e estimulam a ovulação podem ser necessários para obter a desejada gravidez.

É importante ressaltar que a resistência insulínica e o hiperandrogenismo, dois fatores associados à SOP, causam um processo inflamatório celular que aumentam o risco de desenvolver diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares, além de estarem associados ao câncer de endométrio. O controle da síndrome dos ovários policísticos é essencial para prevenir os problemas associados à doença.

 

Dr. Sérgio Guisard

Ginecologista e Obstetra