Bem vindos ao Espaço Saúde Granjardim
Consultórios para profissionais da saúde na Granja Viana
(11) 4702-6652 / 4702-6781 contato@espacosaudegranjardim.com.br
Janeiro Branco

Campanha Janeiro Branco: um convite para refletir sobre sua saúde mental e emocional

O Brasil tem números alarmantes de pessoas que sofrem com doenças psíquicas como depressão e transtornos de ansiedade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 5,8% dos brasileiros têm depressão. É a maior taxa da América Latina e a segunda maior das Américas, atrás apenas dos Estados Unidos. Para chamar a atenção das pessoas para a importância de cuidar da saúde mental e promover o conhecimento sobre problemas como depressão e ansiedade que o psicólogo mineiro Leonardo Abrahão criou, em 2014, o projeto Janeiro Branco.

Um dos principais objetivos da campanha – que conta com mini-palestras, oficinas, rodas de conversa, caminhadas, entre outras ações gratuitas em diferentes cidades brasileiras – é gerar uma psicoeducação, conscientizando as pessoas, a mídia, as instituições sociais e o poder público e privado sobre a necessidade de cuidar da saúde mental, combatendo o preconceito de procurar ajuda profissional para falar e entender sobre os sentimentos.

A escolha do mês de janeiro não é por acaso: é o mês que marca o início de um ciclo que geralmente carrega muitas reflexões do ano e a promessa de fazer com que o novo ano seja melhor. Portanto, a campanha embarca na simbologia culturalmente enraizada de mudança para alertar sobre a importância de cuidar das suas emoções e pensamentos. O branco, que é a cor da paz, é um convite para que as pessoas escrevam sua vida numa nova página em branco.

Devemos nos preocupar com a saúde mental da mesma forma que cuidamos da saúde física. Infelizmente, ainda existe receio em falar sobre sentimentos, além do temor em buscar a ajuda de profissionais, como psicólogo ou psiquiatra, pois muitas pessoas acreditam que eles só cuidam de casos graves, como esquizofrenia e outras doenças. No entanto, o psicólogo também pode ajudar o individuo a entender seus sentimentos, enxergar sua subjetividade, desconstruir conceitos e preconceitos e ressignificar sua história.

Fonte: Carmen Cordeiro da Silva

Psicóloga Clínica, especialista em Gerontologia – CRP 06/106108 

Facebook