Bem vindos ao Espaço Saúde Granjardim
Consultórios para profissionais da saúde na Granja Viana
(11) 4702-6652 / 4702-6781 contato@espacosaudegranjardim.com.br
Medir pressão hipertensão

Seus níveis de pressão estão acima de 130 por 80? Sinal de que a pressão está alta!

Um em cada quatro brasileiros tem pressão alta, segundo dados do Ministério da Saúde, sendo considerada a primeira causa de morte no Brasil. As consequências da hipertensão são tão graves que, desde 2017, a Associação Americana do Coração e o Colégio Americano de Cardiologia definiram novos parâmetros e tratamentos mais rígidos e precoces para controlar o problema.

A pressão alta ou hipertensão arterial é uma doença crônica caracterizada pelos níveis elevados de pressão do sangue nos vasos. A pressão arterial reflete nossos hábitos e comportamentos e pode oscilar durante o dia e a noite. No entanto, quando seus parâmetros estão acima do limite na maioria do tempo, configura-se a doença hipertensiva.

Quando a pressão é considerada alta?

Hoje se considera que a pressão é normal quando o valor de medição está abaixo de 140 por 90 milímetros de mercúrio (mmHg). No entanto, os limites da pressão arterial dependem das condições clínicas do paciente:

  • Pessoas saudáveis e com baixo risco de desenvolver doenças cardiovasculares em 10 anos: < 140 x 90 mmHg
  • Pessoas portadoras de doença cardiovascular ou com risco alto para desenvolve-las no período de 10 anos: < 130 x 80 mmHg;
  • Pessoas com mais de 65 anos: < ou = 130 x 80 mmHg;

Em 2019, as diretrizes europeias mantiveram os limites de pressão arterial, porém ressaltaram a necessidade de avaliar melhor o idoso, classificando-os em idosos frágeis e idosos ativos. Idosos frágeis poderão manter valores de pressão menor ou igual a 160 x 90 mmHg. Quanto mais ativo for o idoso, maior a sobrevida.

Os perigos da pressão alta

A hipertensão pode acometer pessoas de todas as idades. É um problema dos tempos atuais, onde só se pensa em trabalhar, a carga de estresse é muito alta, o consumo de industrializados e fast food predomina, assim como o sedentarismo.  É um dos principais fatores de risco para o infarto e o acidente vascular cerebral (AVC).

É uma doença silenciosa que quase sempre não dá sinais. Os sintomas aparecem quando há um aumento aprupto, causando dor na nuca, no peito, visão turva com luzes brilhantes e cansaço excessivo. O problema pode ser hereditário, porém os hábitos de vida influenciam nos níveis da pressão arterial.

O excesso de peso, por exemplo, tem uma relação direta com o aumento da pressão. Cada 1 kg a mais equivale a 1 mmHg de aumento na pressão arterial. Ou seja, se um paciente que está com 140 X 80 de pressão emagrecer 10 kg, o esperado é que sua pressão fique 130 X70.

Como prevenir e tratar a hipertensão

Não basta apenas tomar a medicação – inclusive, antes de prescrever remédios, os médicos indicarão as mudanças no estilo de vida, como:

  • Manter o peso adequado;
  • Dieta pobre em sódio (sal), rica em frutas e sem industrializados (suco de caixinha, enlatados, embutidos…);
  • Praticar atividade física regularmente;
  • Aproveitar momentos de lazer e fazer terapias antiestresse;
  • Parar de fumar;
  • Evitar o consumo excessivo de álcool;
  • Melhorar a qualidade do sono.
O controle da hipertensão

Caso as mudanças no estilo de vida não surtam efeito, a medicação deverá ser introduzida. A hipertensão não tem cura, mas tem controle. E o tratamento é essencial para evitar consequências que danificam os órgãos do corpo, como o cérebro (causando AVC e perda de memória), os olhos (diminuindo a visão e gerando glaucoma), os rins (causando insuficiência renal) e o coração (provocando infarto, insuficiência cardíaca; vasculopatias como tromboses, etc.).

Fonte: Dra. Luciana Bamonte
Cardiologia e Clínica Médica
CRM: 115.653
https://www.grancorcardiologia.com