Bem vindos ao Espaço Saúde Granjardim
Consultórios para profissionais da saúde na Granja Viana
(11) 4702-6652 / 4702-6781 contato@espacosaudegranjardim.com.br

Um dos maiores desafios é saber o momento ideal de tirar a fralda do bebê. Confira como iniciar o processo de desfralde

Já no primeiro ano de vida, o bebê irá usar mais de 2.000 fraldas – e é praticamente impossível calcular quantas fraldas ele irá precisar até ser capaz de fazer xixi e cocô no penico ou vaso sanitário. Consequentemente, o processo de desfralde costuma ser muito aguardado pelos pais. Antes de mais nada, é preciso entender que cada criança tem o momento certo para tirar a fralda. Então, não se preocupe e procure controlar a ansiedade!

A partir dos 18 meses, a criança começa a adquirir o controle dos esfíncteres, os músculos responsáveis por segurar e liberar as fezes e a urina. Porém, o processo de desfralde envolve também a maturidade e o processo de desenvolvimento individual. Por isso, é importante respeitar o amadurecimento da criança e se manter atento aos sinais para identificar se ela está realmente pronta para iniciar o desfralde.

O processo ocorre normalmente entre 2 e 3 anos de idade. Então, por volta dos 2 anos, é importante conversar com o pediatra para que ele avalie os sinais de prontidão e também possíveis manifestações clínicas que possam interferir no desfralde. O pediatra também irá orientar e ajudar os pais a decidir qual instrumento será utilizado: o penico ou o vaso sanitário.

As técnicas para o desfralde

Em setembro, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), lançou o Manual de Orientação sobre “Treinamento Esfincteriano (TE)”, com informações sobre o processo de conscientização da criança sobre a necessidade de eliminar urina e fezes. Entre elas, vale destacar:

  • O desfralde requer dedicação de paciência dos pais e cuidadores.
  • Explique o porquê do xixi e das fezes existirem. O discurso lúdico pode dar mais leveza a essa fase.
  • Incentive a criança a abandonar a fralda oferecendo cuecas ou calcinhas divertidas, estampadas e coloridas. E deixe ela escolher qual irá usar. Além de ajudar na construção da autonomia, ela criará gosto por determinada peça e isso poderá ser uma boa forma para que ela deixe de lado a fralda naturalmente.
  • As crianças aprendem tudo pela imitação. Então, permita que ela veja e aprenda pelo seu próprio hábito de ir ao banheiro.
  • Tenha o objeto adequado para seu filho fazer xixi, seja o penico ou o suporte para vaso sanitário, ou ambos.
  • Verifique se a criança está se sentando adequadamente e ofereça opções para que ela se sinta confortável e tranquila na hora de fazer as suas necessidades. Ter um banquinho para facilitar a subida até o vaso também é uma excelente opção.
  • Sentado ou em pé? Os meninos devem aprender primeiro a fazer xixi sentado, pois as chances do xixi e do cocô saírem juntos no começo são grandes.
  • Não fique bravo caso escape xixi ou cocô na roupa. Os escapes acontecem e são bem comuns! Brigar, reprimir, castigar ou demonstrar insatisfação são atitudes que acabam desestimulando o pequeno e até gerando traumas que podem atrapalhar todo o processo. Seja positivo e paciente.
Sinais de que a criança está pronta para o desfralde

(  ) A criança insiste que consegue concluir tarefas sem a necessidade de ajuda e tem orgulho ao adquirir novas habilidades;

(  ) Anda e consegue se sentar de modo estável e sem ajuda;

(  ) Consegue puxar as roupas para cima e para baixo;

(  ) Entende instruções e segue comandos simples;

(  ) Usa palavras, expressões faciais ou movimentos (como abaixar-se ou procurar um cantinho) que indicam a necessidade de urinar ou evacuar;

(  ) Indica que a fralda suja causa incômodo ou transparece nojo ou estranhamento por conta da fralda molhada ou suja de cocô;

(  ) Mostra curiosidade ou interesse ao ver os pais ou cuidadores realizarem hábitos de higiene. Lembre-se de que a criança aprende ao observar e tende a imitar o comportamento dos adultos!

(  ) Consegue compreender os sinais do próprio corpo quando está com vontade de ir ao banheiro e é capaz de pedir ou alertar os pais sobre isso, se mostrando disposto(a) a controlar essa vontade quando necessário.

Desfralde para meninos e meninas: tem diferença?

Na prática, observa-se que o processo de desfralde costuma ser mais rápido e fácil para as meninas. Não há nenhuma explicação científica, mas talvez pelo fato delas terem um amadurecimento psicológico mais precoce.

Desfralde diurno X desfralde noturno

O recomendado é que os pais comecem pelo desfralde diurno e só depois avancem para o noturno. Quando a criança consegue controlar o xixi e o cocô durante o dia, período em que ela está acordada e, portanto, consciente, é hora de iniciar as técnicas para o desfralde noturno. De manhã, logo que acordar, retire a fralda e leve o pequeno ao banheiro. Converse bastante com a criança e evite dar muita água após às 18h. Se ele conseguir ficar por 3 a 5 noites seguidas com a fralda sequinha a noite toda, tente tirá-la. O desfralde noturno tende a ser um pouco mais difícil porque o organismo demora mais para conseguir segurar o xixi durante o sono profundo.

O papel da escola no desfralde

O desfralde é um processo que deve ocorrer em casa e requer dedicação e paciência dos pais. No entanto, a comunicação entre a família e a escola precisa estar afinada e os professores podem colaborar sinalizando a vontade de fazer xixi e cocô e incentivando a rotina de ir ao banheiro com outras crianças que já iniciaram o processo. Estar cercado por amiguinhos que já largaram a fralda influencia a criança a querer largar as fraldas.

O desfralde é um processo sem volta?

De acordo com o Manual de Orientação sobre “Treinamento Esfincteriano (TE)”, de 2 a 3% das crianças com desenvolvimento neuropsicomotor adequado e sem doenças crônicas ou neurológicas apresentam problemas durante o processo de desfralde. O insucesso, na maioria das vezes, está associado a ausência dos sinais de que a criança está pronta para largar as fraldas. Evite iniciar o desfralde em momentos turbulentos, como mudança de casa, chegada de um irmãozinho, morte de um parente, separação dos pais, etc.

Se a criança se recusar a colaborar com o processo de desfralde, uma pausa de um a três meses é sugerida para que a confiança e cooperação sejam restabelecidas entre pais e filhos. É importante consultar um pediatra para se certificar que a criança não tem nenhuma disfunção de bexiga (incontinência urinária, por exemplo).

Procure ajuda médica também se a criança fizer três anos sem sinal nenhum de prontidão, se tiver quatro anos e não concluir o desfralde diurno ou se o pequeno atingir os 6 anos e não tiver largado as fraldas. Nesses casos, o pediatra deverá explorar causas psicológicas ou anormalidades físicas ou do desenvolvimento neuropsicomotor.

E sempre tenha em mente que cada criança é única e os marcos no desenvolvimento variam muito – inclusive entre meninos e meninas e entre irmãos. Não compare e não crie expectativas!

Fonte: Dra. Monique Cantoni

Pediatra