Bem vindos ao Espaço Saúde Granjardim
Consultórios para profissionais da saúde na Granja Viana
(11) 4702-6652 / 4702-6781 contato@espacosaudegranjardim.com.br

A falta de preparo físico dos atletas de fim de semana aumenta os riscos de problemas cardíacos em 2,7 vezes!

Pessoas sedentárias que jogam apenas “aquele futebolzinho de fim de semana” precisam tomar cuidado. A prática sem preparo físico pode ser perigosa para a saúde, especialmente se o “atleta de fim de semana” desconhecer a preexistência de doenças cardiovasculares.

Atividades físicas que exigem grandes esforços, como futebol, tênis, vôlei e corrida, demandam treinamento muscular, seja ele esquelético ou cardíaco. A falta de condicionamento aumenta os riscos de estiramento muscular, infarto do miocárdio e até morte súbita, pois o corpo não está preparado para a sobrecarga de esforço repentino. Ou seja, se você está em débito com as atividades físicas, não adianta querer pagar a conta de uma vez só, pois o preço pode ser muito alto.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que sejam feitos pelo menos 150 minutos de atividades físicas por semana, divididos em sessões de 50 minutos, três vezes por semana, ou 30 minutos, cinco vezes por semana. Para um melhor condicionamento físico, recomenda-se 300 minutos de atividades físicas por semana, preferencialmente por uma hora, cinco vezes por semana.

Quem não tem tempo ou costume de se exercitar frequentemente deve preferir, aos fins de semana, praticar atividades de baixa intensidade, como uma caminhada, para não exigir muito do organismo. Segundo pesquisas, a falta de treinamento adequado pode aumentar em 2,7 vezes o risco de desenvolver problemas cardíacos. Isso ocorre devido à carga excessiva e repentina imposta a uma doença cardíaca pré-existente e desconhecida. E além dos riscos ao coração, o treino exagerado pode trazer problemas sérios musculares, ósseos e articulares.

Atleta de fim de semana: quando foi seu último check-up?

Independentemente da idade, é importante sempre consultar um clínico geral ou cardiologista para uma avaliação médica de rotina para realizar exames, como o eletrocardiograma. Após os 40 anos, o teste de esforço também deve ser feito.

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no Brasil e, apesar de ocorrer com mais frequência em pessoas acima de 40 anos, também afetam pessoas mais jovens, especialmente durante a prática esportiva não profissional. Inclusive, recentemente o filho mais velho do jogador de futebol Cafu, Danilo Feliciano de Moraes, foi vítima de um infarto aos 30 anos durante um jogo de futebol com amigos.

Ataques cardíacos em pessoas jovens e sedentárias costumam ser mais letais. Já na infância pode ocorrer o acúmulo de gordura nos vasos sanguíneos e, se não houver mudança no estilo de vida, com o decorrer dos anos surgem placas de ateromas (ou placas de gordura), que podem causar o infarto. As pessoas mais velhas possuem mecanismos de compensação do organismo. Os mais jovens não, portanto o problema tende a ser mais grave e pode levar à morte.

No entanto, vale ressaltar que nem sempre os infartos são causados por obstrução dos vasos que irrigam o coração e que doenças congênitas, estresse, uso de drogas, fumo, também pode levar ao infarto e morte súbita, mesmo quando o paciente não apresenta sintomas prévios. Então, antes de praticar uma atividade física – mesmo que seja somente a pelada de fim de semana – consulte um cardiologista.

Fonte: Dra. Luciana Bamonte
Cardiologia e Clínica Médica
CRM: 115.653
https://www.grancorcardiologia.com